Alpes Literários

Alpes Literários

Subtítulo

UM PASSEIO PELOS ALPES LITERÁRIOS

terça-feira, 15 de maio de 2018

Stevie Smith - Não Acenando, mas me Afogando

Um poema que alterna falas do sujeito lírico com outras do próprio rapaz que estava se afogando, mas que todos pensavam que estivesse apenas acenando de dentro da água: gritos de ajuda podem, muitas vezes, ser confundidos com manifestações de bom humor, num caso fatal de má interpretação. Agora, nada se pode mais fazer, pois o que pedia socorro sucumbiu.

Mas veja-se que o morto adorava encetar ludíbrios e, por isso, as pessoas acabaram por dar um “desconto” em suas elocuções. Agora estamos à volta daquilo que sempre transparecemos: pássaros ininteligíveis, sob o risco de ter nossos gestos, hábitos e papéis mal-compreendidos, confundidos com o nosso próprio ser.

J.A.R. – H.C.

Stevie Smith
(1902-1971)

Not Waving but Drowning

Nobody heard him, the dead man,  
But still he lay moaning:
I was much further out than you thought  
And not waving but drowning.

Poor chap, he always loved larking
And now he’s dead
It must have been too cold for him his heart gave way,  
They said.

Oh, no no no, it was too cold always  
(Still the dead one lay moaning)  
I was much too far out all my life  
And not waving but drowning.

Adeus
(Alfred Guillou: pintor francês)

Não Acenando, mas me Afogando

Ninguém escutou o homem morto,
Muito embora se pusesse a lamentar:
– Estava bem mais longe do que pensavam,
E não acenando, mas me afogando.

Pobre rapaz, sempre gostou de ludíbrios
E agora está morto.
Deveria estar muito frio para ele e seu coração cedeu,
Disseram eles.

– Oh, não não não, sempre fez muito frio
(Amiúde, o morto punha-se a lamentar)
– E estive tão distante toda a minha vida,
E não acenando, mas me afogando.

Referência:

SMITH, Stevie. Not waving but drowning. In: PINSKY, Robert; DIETZ, Maggie (Coords.). Americans’ favorite poems: the favorite poem project anthology. New York, NY: W. W. Norton, 2000. p. 252.

Nenhum comentário:

Postar um comentário