Alpes Literários

Alpes Literários

Subtítulo

UM PASSEIO PELOS ALPES LITERÁRIOS

terça-feira, 29 de maio de 2018

Jules Laforgue - Caso Redibitório (Matrimônio) ‎

Eis um poema capaz de deixar o leitor aturdido frente ao vocabulário empregado pelo autor, que vai desde as referências a obras-primas, até micróbios, campo de manobras, sufrágio universal, reprodução de rostos em cópias – seriam, no caso, os rebentos?!... – afora o título inusitado, a sugerir que houve algum defeito ou vício oculto não ostentado no período pré-matrimonial e que, agora, resolveu aflorar.

É o recurso imediato às formas iconoclastas do poder criativo, em fuga dos modelos convencionais de exteriorização das emoções, e se algo do ambiente interno merece alguma atenção, é de lá que surge a lava de substâncias inconscientes, como num quadro surrealista, ou, ainda, o galope vertiginoso de micro-organismos que ameaçam a integridade física do poeta.  

J.A.R. – H.C.

Jules Laforgue
(1860-1887)

Cas Rédhibitoire (Mariage)

Ah! mon ame a sept facultés!
Plus autant qui’il de chefs-d’oeuvre,
Plus mille microbes ratés
Qui m’ont pris pour champ de manoeuvre.

Oh ! le suffrage universel
Qui se bouscule et se chicane,
À chaque instant, au moindre appel,
Dans mes mille occultes organes!...

J’aurais voulu vivre à grands traits,
Le long d’un classique programme
Et m’associant en un congrès
Avec quelque classique femme.

Mais peut-il être question
D’aller tirer des exemplaires
De son individu si on
N’en a pas une idée plus claire?...

O Casamento
(Eric Bowman: pintor norte-americano)

Caso Redibitório (Matrimônio)

Minh’alma tem sete dons raros!
E tantos quantos ou mais que as obras-
primas. Micróbios vis – milhares! –
tornam-me um campo de manobras.

Ora, o sufrágio universal!
Lança, chicaneando, insultos,
cada instante, ao menor sinal,
entre meus mil órgãos ocultos!...

Quisera viver com sucesso,
segundo um clássico programa
e associar-me, num congresso,
a alguma clássica madama.

Podemos pôr, contudo, em pauta
reproduzirmos nossa cara
em várias cópias, se nos falta
ainda uma noção mais clara?...

Referência:

LAFORGUE, Jules. Cas Rédhibitoire (Mariage) / Caso Redibitório (Matrimônio). Tradução de Nelson Ascher. In: ASCHER, Nelson (Tradução e Organização). Poesia alheia: 124 poemas traduzidos. Rio de Janeiro, RJ: Imago, 1998. Em inglês: p. 204; em português: p. 205. (Coleção “Lazuli”)

Nenhum comentário:

Postar um comentário