Alpes Literários

Alpes Literários

Subtítulo

UM PASSEIO PELOS ALPES LITERÁRIOS

domingo, 27 de maio de 2018

Louis Simpson - Rumo ao Ocidente ‎

A voz lírica se identifica com os conquistadores que domaram as terras da América, descobertas que foram por Colombo naquela histórica viagem por um oceano desconhecido, cujo destino originário era Cathay, no noroeste da China, mas que, de fato foi dar na Baía do México, onde os tesouros que se buscavam jamais foram encontrados.

O poema tece paralelos entre as viagens dos primeiros imigrantes rumo à América devoluta e a aventura primeira de Colombo, em 1492, que, partindo da região portuária de Palos, na Espanha, a serviço do reino de Castela, com apenas três caravelas – Santa Maria, Pinta e Nina –, chegou às ilhas das Bahamas, dando início ao progressivo reconhecimento de todo o continente americano.

J.A.R. – H.C.

Louis Simpson
(1923-2012)

To the Western World

A siren sang, and Europe turned away
From the high castle and the shepherd’s crook.
Three caravels went sailing to Cathay
On the strange ocean, and the captains shook
Their banners out across the Mexique Bay.

And in our early days we did the same.
Remembering our fathers in their wreck
We crossed the sea from Palos where they came
And saw, enormous to the little deck,
A shore in silence waiting for a name.

The treasures of Cathay were never found.
In this America, this wilderness
Where the axe echoes with a lonely sound,
The generations labor to possess
And grave by grave we civilize the ground.

Despenhadeiro do Colorado
(Thomas Moran: pintor norte-americano)

Rumo ao Ocidente

Ao canto da sereia, a Europa se afastou
Do altivo castelo e do báculo do pastor.
Três caravelas singraram rumo a Cathay
Em ignoto oceano, e os capitães içaram
Suas bandeiras sobre a Baía do México.

Agimos assim em nossos primeiros dias.
Evocando nossos pais em seu soçobro,
Desde a mesma Palos, cruzamos o mar
E vimos, vasta para o modesto convés,
Uma costa silente à espera de um nome.

Não demos com os tesouros de Cathay.
Aqui na América, neste lugar selvagem,
Onde o som do machado ecoa solitário,
As gerações trabalham por suas posses,
E tumba após tumba, civilizamos a terra.

Referência:

SIMPSON, Louis. To the western world. In: HALL, Donald (Ed.). Contemporary american poetry. Revised and enlarged edition. Selected and introduced by Donald Hall. 2nd. ed. Kingsport, TN: Penguin Books, 1974. p. 117.

Nenhum comentário:

Postar um comentário